Estágio de três meses na Villares Metals Tempo de leitura 3 minutos
Carreira

Estágio de três meses na Villares Metals

Christopher Eberl
Holds editorial responsibility for career topics and for the apprentice website. His stories offer insights into the world of work at voestalpine.

No dia 12 de setembro de 2013, Florian Penz, um estudante da universidade Montanuniversität, viajou ao Brasil para fazer um estágio na Villares Metals. No seu relatório final Florian explica as diferenças culturais e o mundo do trabalho brasileiro.

penz_florian_villares_metalsMinha viagem de avião levou-me de Munique via Paris a São Paulo, de onde me desloquei até Campinas, uma cidade que se tornou minha nova pátria por três meses. Eu e meu colega de faculdade Krapscha Clemens, que aí estava escrevendo seu trabalho de mestrado, moramos num apartamento em Cambuí. Já nas primeiras três semanas colhi muitas impressões relativas aos mais diversos ciclos de processo e fluxos de materiais na aciaria da VillaresMetals em Sumaré.

Rápida fase de adaptação

Embora ainda tivesse alguns problemas com o idioma, estes logo estavam superados. Após essa fase de adaptação dediquei-me principalmente ao tema da redução de tempo tap-to-tap. Desta forma pude conhecer a fundo na prática o funcionamento de um forno a arco  elétrico. E isso não só quantos aos aspectos da produção de aço, porém também ampliei meus conhecimentos sobre a escória metalúrgica e o revestimento refratário do forno. No âmbito do meu trabalho teórico e prático junto ao forno a arco elétrico participei também de uma “Semana Kaizen”, que é uma ferramenta do Lean Management que, atualmente, se encontra em fase de implantação na Villares.

penz_florian_mit_freundenNovos reconhecimentos graças ao Lean Management

Graças à “Semana Kaizen“ adquire-se imediatamente uma outra visão das coisas e também uma melhor compreensão dos aspectos de segurança e do 6S. Naquela época ainda não tinha a mínima noção do que era o Lean Management. Foi através de um seminário muito bem organizado que este me foi muito bem explicado, de forma que o entendi plenamente. Depois de ter-me dedicado por algum tempo à fundição preliminar, ocupei-me também por muito tempo com a tecnologia de fundição contínua de várias qualidades de aço inox. Essa fundição contínua é um assunto extremamente interessante e sinto realmente muito não ter tido mais tempo para aprofundar-me mais nessa matéria. Visto como um todo, o tempo que passei na aciaria foi altamente elucidativo, sobretudo era bem perceptível a concepção diferente que tínhamos das mais diversas coisas, o que faz a gente sentir rapidamente que não se está na Europa.

Uma cultura singular

Churrasco - Florian PenzDevido às amizades que travei rapidamente com muitos dos meus colegas de trabalho também foi bem fácil entrosar-me com eles no meu tempo livre. O jeito extrovertido das pessoas nos possibilita conhecer a maneira de viver e a cultura desse país sulamericano. Não importa se é futebol, música brasileira ou o famoso “churrasco”, no Brasil existem montes de motivos para tornar uma coisa de nada numa grande festa alegre. Mas a tesoura entre pobres e ricos nesse país ainda está muito aberta.

Mas isso não deve dissuadir ninguém a visitar o Brasil. Temos de ter uma mente aberta e sermos receptivos a uma nova cultura que pretendemos conhecer. Para mim pessoalmente, esses três meses foram um total enriquecimento para minha vida futura. Ao lado das informações profissionais e metalúrgicas também ampliei meus conhecimentos linguísticos e minha compreensão da sociedade brasileira. Foi um tempo espetacular e nesse sentido quero agradecer a todos que me apoiaram e acompanharam durante esse período.